DESESPERO: Após confissão de Deik, defesa de Mayra tenta enquadrar juiz de Prado como suspeito

Por Márcio R. Oliveira
DRT 4978-BA

Os advogados de defesa da prefeita de Prado Mayra Brito entraram, na última quarta-feira (29/03), com um pedido de suspeição contra o juiz de Prado Leonardo Vieira Santos Coelho.

Na ação, os representantes da prefeita alegam que o juiz possui “laços de amizade” com o ex-vereador Gilvan Produções – candidato derrotado por Mayra nas últimas eleições - e que essa relação poderia interferir no julgamento do magistrado na ação que investiga a prefeita pelo crime de compra de votos.


Mayra Brito e seu jeito nada singelo de chamar o juiz de desonesto


Os advogados relataram que em 2015 Gilvan indicou o juiz para receber o Título de Cidadão Pradense, horaria cedida pela Câmara Municipal à autoridades e/ou personalidades que contribuíram com serviços à comunidade. Esse ato já seria elemento suficiente para afastar o magistrado da ação.

O pedido é, contudo, um tanto desesperador uma vez que só ocorreu após o fiscal Jesseilton Costa Almeida, o Deik, ter confessado, em audiência realizada um dia antes (28/03), que a prefeita doou terrenos públicos, em ano de eleição, para o presidente da Associação de Pescadores Gerenaldo Santos Fontoura, mais conhecido como Gereco.

Apesar da tentativa, acredita-se o que pedido será considerado sem efeito uma vez que o próprio Leonardo cassou, na última terça-feira (28/03), a chapa do “amigo” Gilvan Produções e do vice Carlão.

Pelo visto, a única coisa que Mayra e seus advogados conseguiram com o ato foi chamar o juiz de desonesto. Isso – acreditem - eles conseguiram.

Abaixo: Pedido Supeição